Península de Maraú, domingo, 17 dezembro de 2017

História

Conta antiga lenda indígena que vivia no sul da Bahia, muito antes da chegada de Cabral, uma índia de rara beleza, chamada Yamara. De tão bonita tirava o sono dos jovens índios de toda a região, presos à sua imagem, de longos cabelos e sorriso encantador.

Yamara não dava a menor atenção aos inúmeros pretendentes. Ela já era prometida ao melhor guerreiro e caçador da tribo, o jovem índio Marahu.

No entanto, apareceu um dia, subindo o rio no maior barco já visto naquela região, um guerreiro poderoso, que manobrava o barco sem remos, usando somente a força dos ventos. Os índios logo o identificaram como Ubiracy, o poderoso senhor dos ventos e filho de Tupan, que viera atraído pela fama da beleza de Yamara, que despertava admiração do sol e ciúme da lua.

Yamara desta feita não pôde recusar o poderoso pretendente e aceitou ir-se para ser a rainha nos domínios do filho de Tupan.

Mas foi grande a comoção na tribo, pois eles acreditavam que a beleza de Yamara atraía boa sorte para tribo. Achavam que sem ela não haveria mais as grandes caçadas e pescarias. Por essa razão a tribo, com Marahu à frente, queixou-se a Tupan. Este para tornar a disputa mais justa deu a Acarahy, irmão de Yamara, e a Marahu, seu pretendente, poderes exatamente iguais aos de seu filho Ubiracy, o senhor dos ventos. Tais poderes eles possuiriam exatamente por 7 dias.

Com os poderes recebidos Acarahy criou Camamu (que significa abundância), com sua famosa baía, plena de ilhas, cachoeiras e enseadas, muito rica em toda sorte de peixes, camarões e frutos do mar.